sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Comunicado

Estimado(a) paroquiano, bom dia!
Hoje dirijo-me a você para partilhar algo diferente, não se trata de uma prestação de contas, mas sim de uma reflexão sobre os desafios de uma igreja que está inserida no meio urbano, mais do que no ambiente rural.
Nossa Paróquia Nossa Senhora. do Rosário e São Benedito está composta de 23 comunidades que se organizam e situam em quatro diferentes contextos sócio-geográficos:

1. Setor Centro:
1.1 Comunidade Nossa Senhora do Carmo, que anima a Igreja Matriz com pastorais de batismo, catequese e outras;
1.2 Comunidade São Judas Tadeu, que dista da Matriz cerca de 600 m;
1.3 Comunidade Nossa Senhora  Auxiliadora;
1.4 Comunidade Cristo Redentor;
1.5 Comunidade São João Batista;
1.6 Comunidade Santa Edwiges.

2. Setor Alvorada:
2.1 Comunidade São Pedro;
2.2 Comunidade Nossa Senhora  Aparecida - Antônio Dias;
2.3 Comunidade São Francisco de Assis;
2.4 Comunidade Sant'Ana.

3. Setor Jardins:
3.1 Comunidade Santa Luzia;
3.2 Comunidade Bom Jesus;
3.3 Comunidade Imaculada Conceição;
3.4 Comunidade Nossa Senhora  de Fátima;
3.5 Comunidade Nossa Senhora Aparecida - Jardim Vitória;
3.6 Comunidade São João Batista - Jardim União;
3.7 Comunidade Nossa Senhora  das Dores;
3.8 Comunidade Alberto Hurtado.

4. Setor Rural:
4.1 Comunidade Nossa Senhora do Rosário - Coxipó do Ouro;
4.2 Comunidade Nossa Senhora  do Perpétuo Socorro - Arraial dos Freitas;
4.3 Comunidade Santo Inácio de Loyola - Rio dos Peixes;
4.4 Comunidade Nossa Senhora Assunção - Barreiro Branco;
4.5 Comunidade São Benedito - Chácara Conceição.

Esta paróquia foi criada há cerca de 70 anos por Dom Aquino, muito amigo dos jesuítas, embora ele mesmo fosse salesiano. A extensão da paróquia foi sendo modificada na medida em que a cidade foi crescendo. Esta modificação foi feita levando em conta os critérios de atendimento pastoral e religioso do Povo de Deus que ia ocupando cada vez mais espaço nesta cidade, mas também, a possibilidade de sustentabilidade da paróquia (estrutura física, recursos humanos e padres).
Atualmente nossa paróquia atende a uma região onde moram cerca de 100 mil habitantes. A maior área da paróquia é sem dúvida alguma eminentemente urbana, apenas algumas comunidades estão na área rural, com presença de chácaras e frequentada majoritariamente por chacareiros e gente que mora na cidade e vai à missa no fim de semana quando está na sua própria chácara.
Atender a uma população tão grande exige recursos, mas não só dinheiro, exige, também, uma boa comunicação, pois, os "avisos paroquiais" ou "da comunidade" já são insuficientes para dar a conhecer a programação de nossa paróquia nas 23 comunidades existentes. Isto sem falar nas Festas.
As Festas são, de fato, um capítulo à parte. Olha que venho de uma cidade muito festeira: Salvador da Bahia. Mas, Cuiabá faz tanta festa quanto Salvador.
Devido à forte tradição festeira da Igreja e do Povo em Cuiabá, nossas comunidades possuem dois padroeiros, ao invés de apenas um, como seria o convencional, a única exceção é a paróquia que possui três: a Padroeira oficial e que dá nome à Paróquia, Nossa Senhora do Rosário; a devoção popular e mais antiga da cidade, São Benedito; e Nossa Senhora do Carmo, devoção que deriva da de São Benedito e que tem sido a responsável pela assistência pastoral na área da Igreja Matriz e salas da antiga escolinha das irmãzinhas, que permutaram a antiga escolinha com a atual área onde está construída a casa delas, ao fundo da Igreja Matriz, passando a escolinha para a Paróquia.
Atualmente estamos com cerca de 8 pastorais ativas:

1. Pastoral da Catequese: responsável pela formação na iniciação cristã católica, esta pastoral está presente em quase todas as nossas comunidades ativas. Atualmente coordenada por uma equipe encabeçada por Tereza, da Comunidade São João Batista - Centro) e Edilberto (da Comunidade São Pedro);

2. Pastoral da Liturgia: tem como responsabilidade principal a animação da fé mediante a boa preparação da liturgia, seja na liturgia dominical, seja nas festas e demais eventos que implicam a vivência comunitária da fé. Encabeçada por Izani Miranda e Enir Ferreira, ambas da comunidade Cristo Redentor;

3. Pastoral da Juventude: tem como responsabilidade principal a animação e formação dos adolescentes e jovens de nossa paróquia na fé católica, propondo uma forma saudável de partilha e dinâmica da vivência da fé no desafio da juventude. Essa pastoral, embora esteja presente em várias de nossas comunidades, contudo, esteve sem coordenação paroquial. Recentemente a nossa solicitação foi aceita e temos a Amanda, da Comunidade Sant'Ana, encabeçando essa pastoral;

4. Pastoral Familiar: responsável pela formação cristã, animação da fé e apoio à família, esta pastoral está subdividida em três áreas: pré-matrimonial, cuja função principal é a preparação para o matrimônio cristão; pós-matrimonial, cuja tarefa principal é o cuidado e apoio à família que acaba de ser iniciada e vai até o final da vida; Casos especiais, cuja tarefa é acompanhar aqueles casais cujas dificuldades da vida ou de personalidade dos próprios cônjuges não possibilitou seguir casados até o fim da vida. Essa pastoral já estava presente em sua modalidade pré-matrimonial, neste ano de 2016 estamos implementando as demais modalidades. Encabeçam esta pastoral o casal Antonio e Neide da Comunidade Sant'Ana e Alfredo e Enir da Comunidade Cristo Redentor;

5. Pastoral do Dízimo: esta pastoral tem como responsabilidade construir a consciência da participação e partilha para dar a garantia de sustentabilidade de toda a ação pastoral que acontece na Paróquia. Em outras palavras, a Pastoral do Dízimo é a grande responsável pela sustentabilidade da paróquia. Uma paróquia que não possui um dízimo compatível com suas despesas normais e ordinárias é uma paróquia frágil, uma paróquia que não se sustenta. Lamentavelmente nossa paróquia ainda não é sustentável. Isso também influencia a forma como a paróquia funciona, pois, tendo um dízimo fraco, que não é suficiente para cobrir os gastos normais e quotidianos da paróquia, esta tem que recorrer às promoções e festas. As festas e promoções dão muita visibilidade à paróquia e às comunidades, mas, pelo tamanho das festas e pelas poucas pessoas engajadas, acaba tomando boa parte da energia, atenção e dedicação da paróquia que acaba sobrando pouco tempo para o serviço pastoral e assistência religiosa ao Povo de Deus. Quem encabeça esta importante pastoral é o Nonô. No atendimento aos Dizimistas está o Hélio, quem está nos ajudando a comunicar e atualizar o dízimo através da informatização do mesmo.

6. Pastoral do Batismo: esta pastoral tem a responsabilidade de formar os pais e padrinhos na iniciação cristã e ajudá-los a conhecer e assumir o compromisso de ajudar na formação e iniciação cristã de seus filhos e afilhados. Presente em quase todas as nossas comunidades, hoje está encabeçada por Adenir da Comunidade Santa Edwiges;

7. Pastoral da Esperança: esta pastoral tem como responsabilidade principal o consolo e assistência aos fiéis quando da morte de seus entes queridos. Previsto no Diretório Litúrgico-pastoral da CNBB, e também no documento do Sínodo da Arquidiocese de Cuiabá, esta pastoral é relativamente nova e encontra desafios por conta do desconhecimento de fiéis e da falta de apoio de parte do clero. Os fiéis ainda esperam a assistência dos sacerdotes. Estes não têm como realizar a cerimônia de despedida, dado o volume de falecimentos e de trabalho pastoral que exige a presença dos padres. Como a celebração da despedida ou exéquias não é um sacramento, pode normalmente ser presidida por um ministro leigo. Acompanhada por Pe. Aloir Pacini desde o seu nascimento, esta pastoral hoje é responsável por manter a presença de uma equipe em cada capela mortuária existente na área de nossa paróquia e também fora dela. Graças a Deus são muitos os ministros e ministras que desafiam a tristeza e a dor para levar um pouco de consolo aos familiares que perderam seus entes queridos, e celebram com fé e esperança, este sacramental no qual pedem a Deus que acolha o fiel defunto. A pastoral da esperança é encabeçada por Rubia Aires, que frequenta a Comunidade São Judas Tadeu.

8. Espiritualidade Inaciana: presente na paróquia há muito tempo, trazida pelos jesuítas já que se trata da grande riqueza dos jesuítas, a espiritualidade inaciana é uma das escolas de oração da Igreja Católica reconhecida pelo Magistério Eclesiástico e pelo Papa há 500 anos. Até o ano passado era o Pe. Carlos Viana quem a coordenava, este ano de 2016, dado aos seus muitos afazeres, achamos por bem pedir ajuda a Arlene Klein que é uma aficionada da espiritualidade inaciana para a coordenar. Estamos reiniciando os trabalhos nesta área de pastoral e brevemente vamos apresentar novidades.
Para dar a conhecer tantas ações pastorais que ocorrem a nível comunitário e paroquial, já não são suficientes os avisos paroquiais dados nas diversas igrejas que compõem a paróquia e nem nos diversos grupos de WhatsApp que a paróquia possui, é necessário ir além disso, é necessário um site. Para facilitar a comunicação e dar a conhecer tanta coisa que acontece em nossa paróquia, contratamos os serviços da Católicos Vip para a montagem e administração de nosso site.
Peço agora a você que prestigie nosso site, visite-o, divulgue-o. Ele é o melhor e mais completo modo de dar a conhecer o que estamos realizando. É também uma construção entre várias mãos. Temos uma grande equipe que envia as notícias e ajuda a montar e atualizar o site. São representantes de cada uma das 23 comunidades, assim como também de cada uma das pastorais.
Colabore conosco visitando o site e também fazendo suas sugestões.
www.paroquiadorosariotm.com.br



Fraternalmente, Pe. Marco Antonio, SJ - Pároco - Paróquia Na. Sra. do Rosário e São Benedito.