terça-feira, 1 de novembro de 2016

Recordando aqueles que nos precederam

Estimado(a) Irmão(ã), boa noite!
Hoje, a Igreja celebra os Fiéis Defuntos em todo o mundo. No Brasil esta celebração acontecia logo após a celebração de Todos os Santos e Santas de Deus. Com o passar dos tempos, o Brasil que era uma nação eminentemente católica, passou a ser um país laico, isto é, um país que não confessa sua fé, não reconhece a Deus e não professa sua confiança num Deus Todo-Poderoso, num Deus Criador, num Deus Redentor! Foi por esta razão que a Igreja no Brasil tomou a decisão de transferir a Solenidade de Todos os Santos e Santas de Deus para o próximo domingo.
Celebramos hoje, portanto, a Misericórdia de Deus que é maior do que imaginamos e sonhamos, pois, vai além da nossa capacidade de reconhecer. Deus é Mais, já dizia o nosso povo simples, pois, nunca deixou de acreditar na Misericórdia de Deus que sabe perdoar e abençoar mesmo àquele(a) filho(a) que dá mais “dor de cabeça”, como acontece na vida de muitas de nossas famílias.
Neste dia em que celebramos a Misericórdia, recordamos a todos os nossos familiares, amigos e conhecidos que já partiram em direção à Casa do Pai. Recordamos aqueles que nos precederam e deixaram seu legado: eu, você, NÓS. Recordamos o bem que cada um(a) fez, os sonhos que teve e que nos contagiaram ao ponto de nos fazer sonhar juntos e construir esta cidade, este estado, esta nação.
Rezamos, também, por aqueles cujas dificuldades da vida não lhes permitiram conhecer o amor, reconhecer e conhecer a solidariedade e cuja resposta ao chamamento do Deus da vida nos deixa preocupados e com o coração na mão no momento de sua partida.
Sabemos, contudo, que a nossa oração será ouvida por Deus. Ele, o Bom Pastor, Aquele cujo Coração sabe perdoar, que se compadece de quem sofre, que sente a dor de quem se crê na mais absoluta solidão, sabe escutar, vem ao nosso encontro. Só Ele sabe consolar quando as vicissitudes da vida nos silenciam e secam nossas palavras.
Na missa de hoje em que estiveram Pe. Miguel, Pe. Jomêr e eu, estivemos rezando por todos os fiéis defuntos juntamente com a comunidade que pôde fazer-se presente nesta noite em que a chuva prometida acabou por nos encontrar em oração.
Peço ao Deus de toda a Consolação que reconforte o seu coração neste momento em que a recordação da perda de seus entes queridos traz tristeza à sua vida. E, na esperança de que, como Jesus disse que iria preparar-nos um lugar, naquela que será a Festa do Reino de Deus, essa Festa que nunca se acaba, todos e todas nos encontraremos para cantar as maravilhas da Misericórdia e Bondade de Deus.


Fraternalmente, Pe. Marco Antonio, SJ – Pároco – Paróquia Na. Sra. do Rosário e São Benedito.