sábado, 31 de dezembro de 2016

Gratidão é incenso que chega aos céus

A cada ano temos a oportunidade de celebrar o Nascimento de Jesus Cristo, Nosso Senhor. Neste ano tive a oportunidade de tê-lo mais de perto, o que alegrou o meu coração porque percebi inúmeras manifestações de amizade através das orações e outras tantas formas de estarmos em comunhão. Tomei a decisão de agradecer a todos falando do aprendizado que tive nestes últimos dias para entregar, em primeira mão, como os três presentes dos Reis Magos na Epifania.
Por vezes somos precipitados e não avaliamos todas as possibilidades e consequências de nossos atos... Aprendemos mais com o amor do que com a dor. Contudo, nada tira a força da experiência pessoal, o que vivemos deixa cicatrizes para a eternidade. Ainda temos motivos para estar nesta vida terrena, até aprender lições importantes para chegarmos à salvação.
Depois do incidente ocorrido no dia 5/12, uma pessoa generosa trouxe um guarda-sol para me proteger no asfalto escaldante, pegou a minha mão e disse: Padre Aloir, reza comigo... E assim foi conduzindo meus pensamentos e emoções para uma confiança inabalável de que Deus Pai estava comigo. Outras pessoas generosas foram trazendo tapetes para eu poder deitar em cima, enquanto esperava o SAMU...
As doze horas em que fiquei naquela maca dura foram longas, tempo suficiente para pensar nos doze passos para treinar a minha paciência, esta é como a mirra que os reis magos levaram para o menino Jesus. O que Jesus Cristo fez foi assumir nossa condição humana até as últimas consequências e isso tem marcado nossa vida de modo muito intenso, não há como não vivenciar o momento do Natal como Encarnação, o desprendimento de Deus que decide vir à terra para viver a condição humana na sua radicalidade, com nossas dores e alegrias.
Aos poucos fui entendendo que as chagas da humanidade foram assumidas por CRISTO, e algumas delas estavam também em meu corpo: forte choque na coluna e peito que provocou o “pneumo tórax”, costelas e clávícula quebradas, duas pequenas fraturas na bacia que me impediam de caminhar, uma ferida profunda no glúteo esquerdo...
Cada dor possui suas características e seus ensinamentos. Dores menores somem diante de dores de alta complexidade, certamente as dores maiores do ser humano não são físicas, mas psíquicas e, mais ainda, as dores espirituais. Graças a Deus, somente dores físicas me afligiam. Por isso a médica da dor veio me trazendo bálsamo para cada momento porque, acima de tudo, é uma pessoa espiritualizada e a fé em Deus se tornou porto seguro. A médica pneumatologista cuidou dos pulmões, vitais porque permitem a respiração, o sopro da vida. O médico ortopedista chegou para corrigir as fraturas nos ossos, com palavras generosas: Padre Aloir, você tem cuidado das nossas almas, agora chegou a hora de eu cuidar do seu corpo.
Como é bom reaprender a viver ou até mesmo ser gestado de novo em nove dias de UTI. Para isso foi preciso ser humilde para reconhecer o que não fizemos bem e melhorar... este é o ouro verdadeiro que devemos guardar para a vida eterna. Cada gesto se torna importante: conseguir enxugar uma lágrima, levar a colher com comida até a boca, escovar os dentes, tomar banho... Cada passo dado é um aprendizado importante que não tem como expressar em palavras, só experimentando para encher o coração de alegria.
A generosidade das pessoas para comigo é sinal claro do amor de Deus. Por isso digo de todo coração: meu abraço para este ano de 2017 realmente é novo para com cada um(a) de vocês que estabeleceram relações de paz e fraternidade comigo.
Chegou o terceiro presente que distribuo abundantemente, pois é como incenso na nossa vida. Sou eternamente agradecido a Deus por tudo, até pelos momentos difíceis que vivenciamos. São tantas as pessoas que estavam conectadas, rezaram e agiram para que eu pudesse estar aqui agora!

Concluo este escrito singelo de gratidão, pois quero só dizer que o presente espiritual está acima do psíquico e do material (corporal), mas não há como distinguir de forma absoluta estas três dimensões, pois somos um todo e experimentamos o amor dos demais como pessoas. Por isso receba os presentes da paciência, humildade e gratidão que povoam meu coração daqui para frente. Muitas vezes também rezei agradecendo, principalmente nos momentos de miaores dores. Recebe meu afeto e desejos de que você seja muito feliz neste 2017.



Abraços mil, Aloir Pacini sJ