quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Notícias do Padre Aloir Pacini

Estimado(a) paroquiano(a), devoto(a) de São Benedito, amigo(a) da Paróquia Nsa. Senhora do Rosário e São Benedito, bom dia!
Segunda-feira passada, dia 5 de dezembro, por volta das 16:30, Pe. Aloir Pacini sofreu um incidente com seu próprio veículo. Encontrando-se à frente do Centro Burnier, na rua do Ouro, vendo que seu veículo começou a deslocar-se, preocupou-se que o mesmo pudesse machucar algum transeunte, por isso tentou pará-lo com as próprias mãos postando-se à frente do veículo, já que este encontrava-se completamente fechado. Possivelmente uma avaria técnica não permitiu que o veículo ficasse completamente parado. Lamentavelmente o veículo veio a atropelá-lo, deixando-o debaixo do veículo sem poder sair por sua própria conta.
Pessoas que pa ssavam por ali naquele momento viram todo o incidente e partiram de imediato na tentativa de socorrê-lo. Algumas pessoas levantaram o veículo, enquanto outras puxaram o Pe. Aloir para fora. O pessoal do Centro Burnier, sob a liderança de Roberto Rossi, imediatamente chamou o SAMU e entrou em contato comigo.
Ao chegar ao local do incidente encontrei o Pe. Aloir já no interior da ambulância da SAMU e, com a companhia de Pe. José Jomêr, nos dirigimos ao Pronto Atendimento do Hospital São Mateus, onde o Pe. Aloir havia indicado que deveríamos leva-lo.
Fomos muito bem acolhidos pela equipe do Hospital São Mateus. Fizemos, imediatamente todos os exames solicitados. E, por volta das 22:00, já tínhamos uma primeira ideia da situação. Pe Aloir, em virtude do incidente, fraturou o cotovelo esquerdo e o ombro direito; também te ve uma pequena fissura do lado esquerdo da bacia. As imagens disponíveis, que conseguimos rapidamente por conta da solidariedade da equipe do CADIM, não eram conclusivas, mas, aparecia uma imagem escura em um dos pulmões, razão pela qual o ortopedista não nos autorizou a transferência para um hospital especializado em ortopedia.
O laudo técnico das imagens só ficou pronto à 04:00 da manhã. Naquele momento vimos que o incidente havia causado mais danos. Confirmou-se nossa preocupação com o pulmão, pois, encontramos fratura de costelas e, consequentemente, uma parte do pulmão apresentava o que popularmente chamava-se “água na pleura”, necessitando que se fizesse um dreno para saída da água e do ar. Em função disto, a equipe médica do Hospital São Mateus nos informou que Pe. Aloir necessitava de UTI onde pudesse fazer aquele procedimento de drenagem no pulmão e cuidasse das possíveis consequências de problemas respiratórios que ele pudesse sofrer por conta desse dano ao pulmão.
A partir daquele momento, a equipe do Hospital São Mateus e nós, mobilizamos todos os amigos e conhecidos para conseguir uma vaga em alguma UTI nas condições de cuidar de Pe. Aloir. Para quem não é da área da saúde é bom saber que, na falta de uma UTI, o Pronto Atendimento é o que mais se aproxima das condições de uma Unidade de Terapia Intensiva – UTI.
Ontem, terça-feira, na missa de São Benedito das 05:00 da manhã presidida por Pe. Miguel Wetternick, avisamos aos amigos e devotos de são Benedito da situação de Pe. Aloir e iniciou-se toda uma campanha de busca por uma vaga na UTI. Por volta das 08:00 da manh 27; já tínhamos uma possível vaga que se concretizou por volta das 10:00 da manhã no Hospital AMECOR.
A equipe do Hospital São Mateus disponibilizou uma ambulância especial para o traslado de Pe. Aloir até o Hospital da AMECOR. A equipe do Hospital da AMECOR nos recebeu com muito carinho e competência. Pe. Aloir permaneceu por um par de horas no Pronto Atendimento do AMECOR até que a vaga na UTI estivesse pronta para recebê-lo. Drª Ayrdes, especialista renomada em pulmão, analisou o laudo e as imagens e nos informou a sequência do tratamento a seguir.
Por volta das 16:00 Pe. Aloir recebeu o dreno e a equipe da UTI nos tranquilizou dizendo que a extensão do dano era pequena, embora, toda e qualquer situação que implique em “água na pleura” é passível de provocar alguma pneumonia, mas , estando na UTI, é muito mais eficaz o tratamento.
O estado de Pe. Aloir é estável. Já dormiu bastante. Durante todo o processo esteve lúcido e bem-humorado. É possível que ainda hoje possa já receber as intervenções para solução das fraturas no cotovelo e no ombro, pois, estas são o que causam mais incômodo e alguma dor.
Meu amigo, minha amiga, partilho com você que me deixa muito edificado e consolado encontrar tanto carinho e solidariedade entre os cuiabanos ao redor da saúde de Pe. Aloir. Tem sido grande a quantidade de pessoas que nos acompanham com sua presença física, telefonemas, mensagens, todos querem ajudar. Posso garantir que durante todo o tempo em que estive com Pe. Aloir desde o momento do incidente, Pe. Aloir não esteve só. Agora, contudo, por força dos procedimento s que Pe. Aloir necessita e do local em que ele se encontra, as visitas estão bem regradas, mas, mesmo assim, a equipe médica tem nos informado de todos os passos e progressos do estado de saúde dele.
Em nome da Companhia de Jesus, da Paróquia Nsa. Sra. do Rosário e do Pe. Aloir, quero agradecer a todos e todas que tem nos ajudado nesse momento de preocupação pelo reestabelecimento de sua saúde. Peço que continuemos em estado de vigília e oração pelo restabelecimento da saúde de Pe. Aloir.
Que Deus, em sua imensa misericórdia, abençoe a todos e, em especial, ajude na recuperação deste nosso irmão e pastor Pe. Aloir Pacini.
Fraternalmente, Pe. Marco Antonio, SJ - Superior dos Jesuítas em Cuiabá